Mulheres da Improvisação

Grupo de estudos e investigação artística que, através da prática como pesquisa, analisa e discute os processos de improvisação tendo como objetivo refletir sobre percepção, tomada de sentido, interação e cocriação. 

Interdisciplinar, o coletivo Mulheres da Improvisação, formado por artistas-pesquisadoras da dança, música, filosofia, performance, poesia, mídia arte, teatro, entre outras áreas do conhecimento, se propõe a investigar o processo de improvisação nas cenas artísticas em diversos contextos tais como palcos, galerias, espaço urbanos ambientes naturais, meios virtuais, digitais ou mediados por tecnologias, dentre outros. 

Um coletivo formado por mulheres que busca, além da pesquisa artística, valorizar a força feminina como modo de ruptura para com pensamentos, ações e estruturas decorrentes de preconceitos étnico-raciais e de gênero.

A proposta inicial deveria ocorrer presencialmente em uma Residência Artística, contudo, em virtude da pandemia do COVID-19, começamos nossos encontros de forma virtual no dia 31/03/2020 através de sistemas de videoconferência.

Palavras-chave: Arte, Improvisação, Cultura Digital, Estudos Feministas Decoloniais, Multimodalidade, Percepção, Sensorialidade, Cognição, Enativismo, Corpo/reidade.

Assista apresentações do grupo: 

CONFERENCIAÇÃO

Mulheres da Improvisação (MI):

Ações e reflexões sobre presença frente aos desafios contemporâneos

Nesta mesa, a conexão MI - Mulheres da Improvisação - aborda algumas reflexões sobre o conceito de presença a partir das distintas corporalidades, trajetórias e visões deste grupo interdisciplinar. Valorizando a experiência, partimos de uma proposta de ação|experimentação performativa e de conversações para discutir três aspectos sobre a presença: seus possíveis estados (qualidades) na improvisação, suas implicações pela mediação tecnológica e seus desafios frente à questões contemporâneas, sobretudo, em tempos pandêmicos, na construção de uma produção de conhecimento pelo bem viver!

anda.png

Esta mesa tem como tema os processos artísticos de improvisação tendo como objetivo refletir sobre criação compartilhada, interação, percepção e tomada de sentido. Iniciando a sessão com a apresentação de uma improvisação telemática, seguiremos com as discussões provocadas por um grupo interdisciplinar que abordará 6 tópicos principais:

1- "Relações entre o dançarino e o lugar na improvisação", pela bailarina Líria de Araújo Morais (Dança/UFPB); 

2- "Uma visão enativista do processo de improvisação", pela filósofa Nara Figueiredo (Filosofia/UNICAMP); 

3- "Práticas contemplativas e questões ambientais", pela artista Walmeri Ribeiro (Produção Cultural/UFF, PPGAV/UFRJ); 

4- "Educação somática e a dança na improvisação", pela bailarina Lígia Tourinho (Dança/UFRJ); 

5- "Corpo e tecnologia multimodal", apresentado pela musicista e músico-terapeuta Elena Partesotti (NICS/UNICAMP); 

6- "Tomada de sentido participativa como poética da dança mediada pela tecnologia digital", por Ivani Santana (IHAC/PPGAC, UFBA)